Contos de Incesto: Filho inocente comeu a mãe gostosona no banho

Contos de Incesto: Filho inocente comeu a mãe gostosona no banho

Gosta de contos eróticos e contos de incesto? Nosso site tem muitos contos de sexo, contos HOT, contos adultos, contos picantes, contos lésbicos, histórias eróticas e de sexo, relatos verídicos de pessoas reais e confissões sobre pornografia e sexo, enfim, tem contos eróticos e histórias para todos os gostos, e se você também tem seu próprio conto ou gosta de escrever suas próprias aventuras eróticas pode nos enviar que será postada aqui no site junto com esta e as outras.

Para enviar seu conto erótico, relato sexual ou história picante acesse essa página e ENVIE SEU CONTO. Iremos postar seu conto aqui no site.



Meu nome é Diego e desde os 14 anos tenho tido problemas com meus hormônios, masturbação tem sido minha vocação, agora com 16 meus problemas pioraram pois pareço estar ficando louco!

E o problema está dentro de minha própria casa. Minha mãe tem 39 anos e sempre foi muito bonita, meus coleas sempre me encheram o saco dizendo que minha mãe é gostosa, de tanto que eles falavam isso, começei a vê-la com outros olhos, um tesão indescritível começou a tomar conta de mim. O problema é que ela é muito gostosa, cabelos escuros e lisos, coxas grossas, colocou silicone recentemente e ficou uma delícia e o melhor: um bundão delicioso que me faz viajar na punheta todo o dia.

Tudo começou quando ela me chamou ao quarto dela para dizer que nos iriamos a casa do vovô no outro dia, a casa do meu avô que já morreu fica nas montanhas e como estava muito calor ela queria ir a piscina. Os problemas começam aí quando a vi no outro dia com um shortinho cavado… ufa que delícia… não conseguia parar de olhar, sabia que não devia, mas não adiantava lutar contra!

Então me entreguei ao delírio. Ela sempre brincou muito comigo, mas eu, até então, não tinha maldade, mas agora aproveitava bem as oportunidades, ela perguntava rindo se eu já estava traçando as garotinhas e pegava no meu pênis por cima da bermuda. Eu ficava nervoso e tirava a mão dela antes, mas agora resolvi deixar e ela que se assustou ao notar o volume e a dureza.

– Nossa Dieguinho, você tá tarado garoto?

– Não mãe é que você fica pegando! Ela rio gostosamente daquilo, mas notei sua curiosidade constante.

Ao chegar, continuei as brincadeiras com meu pau latejando de duro, ao descer do carro deixei ela andar na frente para admirar aquele monumento ao tesão, dei um tapinha naquele bundão, ela olhou para trás e riu.

Ela parava de repente e me dava “bundadas” para me afastar, o problema é que aquilo me atiçava mais ainda. Sentamos na sala de entrada depois de passar pela piscina a casa estava vazia e eu taradaço! Tentei me acalmar e refletir no que estava pensando, mas não dava mais. Então ela tirou o shortinho bem devagar, parecia que queria me provocar, pois eu estava sentado e ela em pé na minha frente e de costas para mim. Nossa que visão, ela com um biquíni fio dental amarelinho cavadão, ufa! Cheguei a passar a mão no pau para me aliviar.

Ela então me chamou para a piscina. Eu acompanho aquela delícia e digo:

– Mãe você tá com um bundão hein? Ela disse

– É? Você acha? Eu tenho que tratar dele para continuar assim, vem me passa o bronzeador.



Era tudo o que eu queria, ela deitou de bruços e eu começei a passar, delirava com aquelas curvar a a maciez de sua pele. Batia uma de leve por dentro do calção. Não estava aguentando, segurei e alisei aquela bunda, então ela mandou eu parar porque estava ficando muito tarado e descontrolado. E disse:

– Tá precisando se aliviar hein? Vai no banheiro menino e resolva esse problema. Eu abri o jogo.

– Ahh mãe é que você tá muito gostosa com esse fio dental.

– Eu sou sua mãe menino sai de cima de mim.

– Eu sai um pouco decepcionado e fui para o quarto de cima.

Depois de uns minutos ela subiu de tanga e me disse.

– Olha filho, não disse por mal, vem cá deita no colo da mamãe. Eu deitei, mas o tesão continuava. Ela acariciava minha cabeça e dizia:

– Já se aliviou? É a fase de sua idade, algo natural.

– Não me aliviei não mãe, não sei como fazer direito. E ai começou a esquentar quando ela falou

– Tá de pau duro de novo né? Deixa eu ver? Ela abaixou meu calção e disse:

– Nossa para sua idade você está bem hein? Olha só eu posso te aliviar mas tem que ficar em segredo tá?

– Claro mamãe. Ela segurou meu pau e começou a bater uma deliciosa, eu gemia de prazer. Começei a beijar a barriga dela e vi que ela estava delirando também, ela pediu para eu mamar nela como quando eu era criança e eu fiz. Abaixou o sutien e eu chupei gostoso… chupei muito. Então eu criei coragem e pedi.

– Mãe me faz um boquetinho gostoso?

– Não filho, nada de boquete!

– Mas mãe eu mereço, eu te chupei também!

– Vou pensar no seu caso! Ela saiu e falou que ia tomar banho e que eu devia fazer o mesmo.

Ela foi e eu fui atrás, segurei ela por trás e roçei naquela bunda que era meu sonho incestuoso de consumo, ela me pediu calma e entrou no box deixando o bundão para cima ficando encostada na borda, eu fui e cai de boca, beijava e lambia tudo, apertava com as mãos chupava aquele monte de carne gostosa e sarada. Ela virou e pediu para eu sentar na borda, ela então segurou meu pau abaixou e começou uma lambida na cabeça do meu pau deliciosa.

– Uhhh que delicia de boca ahhhh.

– Uhh que pau grande e gostoso humm. Não aguentei muito e disse que ia gozar ela então disse:

– Manda tudo na minha cara vai.

– Ahhhh vou gozar ahh.

Gozei como nunca, até me assustei com a quantidade de jatos voando por cima dela, rosto, cabelo, na cara toda. Ela então me olhou e disse:

– Tá mais aliviado filhão?

– Sim, mãezinha!

– Quer mais?

– Sim mamãe, você deixa eu comer esse seu cuzão?

– Ok neném? Mas vamos fazer só anal tá? Não quero correr riscos hoje que não temos camisinha aqui. Agora vem cá e entra com tudo na sua mãe.

– Ahhh que cuzão, ahhh mamãe!

– Soca mais neném vai… come esse bundão que você tanto gosta… ahhhh.

– Uhhh empina mais vai… Nossa que tesão mãe!

Percebi então que meu pau não ia aguentar mais tão atochado naquele cuzão e tirei para gozar, lançei mais alguns fortes jatos de porra em cima dela e sua bunda deliciosa. Desde então, troquei um problema (masturbação) por outro (incesto) e como sempre morei sozinho com minha mãe já que meu pai nos deixou quando eu era ainda um bebê para morar no exterior, não via problemas, meu pensamento só enxergava o tesão e o sexo, não conseguia me controlar e comia minha mãe todo dia.


Gostou desse conto erótico de incesto? Comenta e compartilha ai…

Autor: Anônimo


Anonymus 69

Nada a declarar, somente a mostrar, siga-me e não vai se arrepender.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 12 =